Como vocês têm percebido, o seu papel no desenvolvimento de seus filhos (as) é muito importante e, neste momento tão difícil da pandemia, a falta da escola e das atividades presenciais da (re)habilitação auditiva de seus filhos (as) trouxe uma grande mudança para as nossas vidas. 

    Sabemos que este distanciamento pode gerar vários sentimentos, dúvidas, angústias nas famílias e também para a equipe de profissionais, assim como para as crianças, que dependendo da faixa etária e de seu desenvolvimento, podem ter dificuldade em compreender esta mudança brusca na rotina, o que pode alterar também o seu comportamento. Enfim, neste período várias coisas diferentes estão acontecendo para todos nós e a nossa união é essencial para caminharmos e alcançarmos o nosso objetivo em comum: o pleno desenvolvimento das crianças. 

   Assim, a UFRN, que tem um grupo de estudo permanente com a equipe de reabilitação do Centro SUVAG e outras instituições de reabilitação auditiva chamado GEHRA: Grupo de Estudos em Habilitação e Reabilitação Auditiva, propôs uma análise da situação de cada família matriculada no SUVAG para então, ofertarmos juntos um atendimento de terapia remota que viesse atender às necessidades particulares de cada um, em uma proposta de atendimento chamado terapia híbrida (momentos em que nos encontraremos por chamada de vídeo on line) e (momentos em que vocês farão uma atividade combinada por nós para estimular as habilidades que seu filho (a) necessita e nos dará um retorno de como foi esta atividade).                                                                                                Como já conversamos em outros momentos, o cérebro da criança necessita de estímulos constantes e de muita prática para adquirir habilidades. Para aprender, todos precisamos viver experiências que nos fazem sentido, que têm significado para nós. Além disto, o ambiente de aprendizado e a atividade que estamos aprendendo têm que ser prazerosos, isto porque o nosso cérebro dá mais atenção ao que gostamos. Então, nos momentos de interação com seu filho (a) esteja de verdade disponível para se comunicar e brincar com eles, sem preocupação com outras coisas que têm que fazer e sem estresse sobre se criança está respondendo corretamente ou não ao que você está pedindo ou perguntando. Assim, quanto mais natural e tranquila for a estimulação em casa, mais e mais seu filho (a) vai se desenvolver. 

   Um outro ponto muito importante é a prática: todas as crianças precisam repetir várias e várias vezes um movimento, uma palavra ou mesmo escutar até mostrarem que aprenderam a andar, a falar, a entender o que é dito. A criança com deficiência auditiva, como na maioria das vezes, leva um tempo até conseguir escutar por meio dos aparelhos auditivos, implante coclear e outros recursos, precisa de mais e mais horas de exposição e prática para ter a mesma quantidade de horas de “treino” para a aquisição e desenvolvimento da audição e da linguagem, em especial, visto que os estímulos que não chegavam até a criança eram os auditivos, o que afeta o desenvolvimento da linguagem. 

   Então, para nos lembrarmos da importância das horas que temos passado com nossas crianças em casa, nesta quarentena, vamos pensar em um piloto de avião: até que ele seja capaz de pilotar o avião com segurança, precisa de muitas e muitas horas de treino. Importante lembrarmos que errar faz parte do processo de aprender e que o piloto precisa sempre de um incentivo e de um retorno, seja do simulador de vôo ou do supervisor que trabalha no treino com ele. 

   Assim, já sabíamos que apenas os momentos de terapia que as crianças tinham fisicamente eram insuficientes para que o número de horas de treino fosse alcançado por elas para o seu completo desenvolvimento. Por isso, sempre foi requisitada de vocês a aproximação e participação da família nas sessões de terapia fonoaudiológica e nos grupos de pais, que são momentos para oferecer apoio e poder trocar experiências com vocês, familiares, que passam a maior parte do tempo com as crianças. 

   Ao mesmo tempo, ainda que participando das atividades do programa de reabilitação, os pais podem sentir-se inseguros em usar algumas das estratégias para melhorar a comunicação e algumas das atitudes (que os fonoaudiólogos chamam de técnicas auditivas) para que a criança escute melhor, como sentar-se do lado da melhor orelha da criança, falar mais devagar, falar mais próximo do microfone do dispositivo, entre outras. Isso torna necessária a presença do fonoaudiólogo e de toda a equipe interdisciplinar para dar o suporte preciso para que vocês se sintam mais confiantes de que são as melhores pessoas para ensinar e estimular seus filhos (as). 

   Esta é a nossa proposta. Através de encontros on line de 20 a 30 minutos individuais e de orientações semanais, com atividades a partir da rotina de cada família e de estratégias elaboradas pela equipe de alunos de Fonoaudiologia da UFRN e pelos profissionais da reabilitação do Centro SUVAG/RN, além da continuidade dos grupos de apoio aos familiares, nossa meta é oferecer atendimento remoto singular, a partir das necessidades de cada família e criança. 

    É claro que esse momento é único, novo e pode despertar dúvidas, sobre as quais sempre poderemos conversar. 

   O empenho de cada um de nós é muito importante para cada uma das crianças. As famílias devem se apoiar e têm muito a ensinar umas às outras e a contribuir com a equipe de reabilitação.

Contamos com todos vocês nesta nova etapa! 

​Nossa Equipe



© 2020 Orgulhosamente criado com Wix.com